/ argentina santos    voltar para artistas

Argentina Santos

​Álbuns

001.jpg

Colectânea

 Lisboa Sentimental

Biografia

Argentina Santos, distinguida com o Prémio Amália Rodrigues Carreira, em 2005, atuou em palcos como o do Festival de Edimburgo, o do Konzerthaus, em Viena, do Queen Elizabeth Hall, em Londres, ou o do La Cité de Ia Musique, em Paris. Em 1950 tornou-se proprietária da casa de fados Parreirinha de Alfama, onde começou a trabalhar como cozinheira, aos 24 anos. Durante várias décadas manteve-se sempre à frente da cozinha, e em várias entrevistas deu conta do seu gosto pela gastronomia. A notícia de “uma patuscada com fados n’A Parreirinha”, num diário da capital, levou Argentina Santos a licenciar a sua casa de petiscos como “um restaurante com fados”, contou a fadista. Além dos seus méritos como fadista, que levavam uma legião de fãs a ir ouvi-la à Parreirinha, o estudioso de fado Luís de Castro, seu amigo e frequentador da casa, salientou à imprensa que Argentina Santos “no seu elenco artístico teve sempre o cuidado de ter pelo menos dois nomes de peso, para evitar supremacias”.

 

Na sua casa entre outros fadistas atuaram Fernanda Maria, Lina Maria Alves, Celeste Rodrigues, Mariana Silva, Maria da Fé, Lucília do Carmo, Alberto Costa, Tristão da Silva, Júlio Peres, Natalino Duarte e António Mourão. Em 1960 Argentina Santos gravou o seu primeiro disco, de uma série, com diferentes etiquetas discográficas, da Estoril Discos à Marfer, Alvorada, Riso e Ritmo, Movieplay e CNM.

A sua interpretação de “Chafariz do Rei” (Fernando Teles/Francisco Viana), gravada na década de 1960 para a Estoril é apontada como uma referência sendo requisitada para incluir as mais diferentes antologias de fado.

Argentina Maria Argentina Pinto dos Santo, nascida na Mouraria em fevereiro de 1926, está, atualmente, retirada dos cenários artísticos. A sua última gravação foi um dueto com Filipa Cardoso, “Fado Herança” (Jorge Fernando/Fado menor em versículo de Alfredo Marceneiro), no álbum “Cumprir o seu Fado”, saído em 2009. A intérprete de “Lisboa casta princesa” (Álvaro Leal / Raul Ferrão) além “da sua casa de fados. cantou, pontualmente, noutros espaços fadistas como o Café Luso. Em 2004, ano em que a intérprete de “A Minha Pronúncia” (José Pereira/João Maria dos Anjos) foi homenageada durante a Festa do Fado em Lisboa, e em 2012 recebeu a Medalha de Ouro da Cidade de Lisboa.

Entre outras participações, destaca-se a asuatuação no espetáculo “Novas Severas”, da Associação Portuguesa Amigos do Fado (APAF), em 1994, no espetáculo “Cabelo Branco é Saudade”, de Ricardo Pais, em 2005, e no filme “Fados”, de Carlos Saura, em 2007.

Texto: NCL

Foto: José Frade

Contactos

Newsletter

Redes Sociais

© Copyright 2020 Fundação Manuel Simões. Todos os direitos reservados.                                                   

logo_branco.png
i006570.png
branco.png