Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




J_IN÷CIO_Queluz.jpg

A recuperação dos jardins e do Palácio de Queluz já começou, com um investimento global de 2,8 milhões de euros, anunciou a sociedade Parques de Sintra-Monte da Lua (PSML).

A PSNL indorma em comunicado, que os trabalhos vão incidir sobre o património edificado e nos jardins históricos de um dos mais importantes exemplares da arquitetura dos séculos XVIII e XIX (período marcado pelas estáticas do barroco, do rococó e do neoclassicismo).
As intervenções incluem a reabilitação de fachadas, cantarias, vãos e coberturas, a revisão das infraestruturas de energia e comunicações, a ligação do sistema de saneamento à rede pública e o sistema de videovigilância.
No piso térreo, inacabado desde a reconstrução após um incêndio que afetou o monumento em 1934, será instalada uma cafetaria, um auditório e um espaço de apoio para eventos.
Segundo a PSML, criada em 2000 para gerir os monumentos na Paisagem Cultural de Sintra, o diagnóstico efetuado após assumir a gestão do palácios e jardins de Queluz, em 2012, confirmou "o elevado estado geral de degradação do conjunto, devido à carência quase total de investimentos".
Especialistas da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) e do Instituto Superior Técnico participaram na análise das prioridades de intervenção, com conclusão prevista no património edificado até ao verão.

 

Interior_Pavilhao_Robillion_Palacio_Nacional_de_Qu

 

Pavilhão Robillion. 

Os trabalhos vão permitir manter os percursos de visita do monumento, no prosseguimento da política de "aberto para obras" da PSML, para que os visitantes acompanhem o progresso das intervenções.
Apesar do início dos trabalhos na parte arquitetónica, a recuperação dos jardins "estão ainda sujeitas a apreciação por parte da DGPC", nomeadamente em relação aos projetos de reabilitação do jardim de Malta e a reconstituição do jardim botânico.
O restauro da cascata, bosquetes e caminhos, a revisão e melhoria do sistema de águas - de fontes, tanques e lagos - e novas plantações para proteger as vistas de quem se encontra no interior do jardim também fazem parte dos projetos.
A empreitada inclui "a recuperação das coberturas da sala de jantar e do pavilhão Robillion/sala dos embaixadores (quarto D. Quixote, onde morreu D. Pedro IV, primeiro Imperador do Brasil, o que foi usado pela infanta de Espanha,Carlota Joaquina, as salas das merendas, do toucador, das açafatas e dos despachos)".

Jardim_Botanico_Palacio_Nacional_e_Jardins_de_Quel

 

Pormenor do Jardim Botânico do Palácio. 

A substituição da estrutura das coberturas permitirá travar infiltrações e melhorar a ventilação do monumento, que beneficiará ainda da limpeza e do tratamento dos tetos em madeira.
O sistema de proteção contra descargas atmosféricas contará com a instalação de dois novos para-raios, protegendo todo o palácio, em vez de apenas uma parte, e nas fachadas serão recuperadas as tonalidades originais, que eram em azul.
O sistema de videovigilância, que integrará o sistema geral da PSML, incluirá neste local cerca de 50 câmaras digitais de alta resolução, cobrindo todo o perímetro do palácio e jardins, para segurança de bens e de visitantes.
As fachadas e os jardins vão passar a ter iluminação, com tecnologia LED, para beneficiar o usufruto do palácio e dos jardins em atividades fora do horário normal de abertura, salienta a sociedade.
O investimento de 2,8 milhões de euros é realizado com capitais próprios da PSML, detida pelo Estado (Direção-Geral do Tesouro e Finanças), pelo Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, pelo Turismo de Portugal e pela Câmara de Sintra.
Recentemente, os jogos de água e as estátuas de bronze dos jardins foram alvo de um restauro, apoiado em parte pelo World Monuments Fund.

Fachadas_e_janelas_Palacio_Nacional_de_Queluz_lowr

 

Fachada sul do Palácio. 

Nos jardins exibe-se regularmente a Escola Portuguesa de Arte Equestre. O Palácio Nacional de Queluz regista anualmente cerca de 140 mil visitantes.
O Palácio de Queluz, de traça barroca, de autoria do arquiteto Mateus de Oliveira, começou a ser construído no final da primeira metade do século XVIII. Serviu para receber a infanta espanhola Carlota Joaquina que se casaria mais tarde com D. João VI, mas inicialmente foi construído como residência de D. Pedro de Bragança, que se casou com a sua sobrinha, a Rainha D. Maria I que ali viveu quando mentalmente doente.
O palácio foi residência régia de 1794 até 1807, quando a Família Real partiu para o Brasil e, em 1908, foi comprado pelo Estado que, em 1910, o classificou como monumento nacional. Uma das alas do palácio, o pavilhão de D. Maria, é atualmente um quarto de hóspedes exclusivo para Chefes de Estado estrangeiros, em visita a Portugal.

Fotos: PSML/FMS

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

6225674_Ij1Bk.jpeg

Ricardo Ribeiro atua nos dias 23 e 24 de janeiro no Teatro Cuyás, em Las Palmas, na ilha da Grã-Canária, no arquipélago espanhol das Canárias, a convite da cantora Olga Cerpa.

Ricardo Ribeiro participa no espetáculo de apresentação do álbum “Estación Lisboa”, de Olga Cerpa, com o grupo canário Mestisay.
Uma nota à imprensa da produção explica que este é um espetáculo de “fados vestidos de bolero” e, além do grupo canário, do fadista português e de Olga Cerpas, participam no concerto os músicos José Manuel Neto, na guitarra portuguesa, Carlos Manuel Proença, na viola, Marco Valero, na guitarra espanhola, e o cantor Pancho Delgado.
Referindo-se ao novo CD da cantora, a mesma fonte afirmou à Lusa que este é a segunda parte do álbum "Pequeño fado e otras canciones de amor”, de Olga Cerpas, editado há cinco anos, que vendeu mais de 12.000 cópias, tendo sido apresentado em 80 palcos espanhóis e estrangeiros.

OLGA CERPA.jpg

 

Em 2011, a cantora canária editou o álbum "Atántico Rádio", que apresentou em dois espaços lisboetas, o Maria da Mouraria, e nas Arcadas do Faia.
Ricardo Ribeiro, já distinguido com dois prémios Amália - Revelação e Melhor Intérprete, respetivamente, em 2005 e 2010 -, está nomeado este ano para a categoria Melhor Artista nos prémios da revista inglesa Songlines.
Em comunicado, a produtora do fadista, de 33 anos, refere que a nomeação surge após a apresentação do álbum “Largo da Memória” (2013) em “mais de 50 palcos nacionais e internacionais”, em 2014.
A votação para o prémio é feita pelo público através da internet, em http://www.songlines.co.uk/music-awards/index.php.

 

Fotos:D.R./FMS

Autoria e outros dados (tags, etc)




Bem-vindo


Parcerias


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Visitas

Flag Counter